sábado, 18 de agosto de 2007

Consequências

Paulo Werneck


Lester Raymer, Cabeça de palhaço
Fonte: www.redbarnstudio.org

Palavras são palavras, nada mais do que palavras. Não é verdade. Palavras têm consequências.

O sr. Paulo Zottolo, alto executivo da Philips, declarou que "não se pode pensar que o país é um Piauí, no sentido de que tanto faz quanto tanto fez. Se o Piauí deixar de existir ninguém vai ficar chateado".

Não conheço o Piauí, mas tenho certeza que entre este e a Philips, fico com o primeiro. Tenho certeza de que se a Philips deixar de existir, não ficarei chateado.

Desde que os Estados Unidos invadiram o Iraque, sem qualquer motivo, inflingindo àquele povo um sofrimento desnecessário, destruindo patrimônio cultural e se apropriando das reservas de petróleo daquele país, não mais adquiro produtos norteamericanos.

Com a declaração do sr. Zottolo, não mais comprarei produtos Philips.

Talvez, se mais presidentes de empresas aproveitarem o exemplo e fizerem mais declarações bombásticas, farei tanta economia que sobrará salário no fim do mês.

Um comentário:

nlimonge disse...

Caro amigo Paulo,

Acho que você está sendo injusto com o sr. Paulo Zottolo.
Se o Piauí não existisse a gente aqui no Rio não teria o Moreira Franco.
Tá certo, talvez não tivéssemos também a farmácia Piauí ou mesmo um jornaleco que alguns pseudo-intelectuais andam admirando por aí.
Porém o custo benefício seria favorável a nós.
Digo o mesmo para a República do Piratini lá no fundão do país... Já imaginou o Brizola não saindo daquelas bandas e deixando o Rio livre dele e de sua influência??

Mas isso aí já são outros quinhentos...